Mulher empreendedora: dicas e inspirações para ter sucesso

 Mulher empreendedora: dicas e inspirações para ter sucesso

O ambiente empresarial nunca foi tão favorável às mulheres. Até hoje, muitas trabalhadoras recebem menos do que os homens.

A desigualdade salarial é conferida por várias pesquisas, bem como um levantamento realizado pela consultoria IDados, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio do IBGE.

Nesse sentido, quando se pensa no ambiente do empreendedorismo, também imagina-se que as mulheres enfrentam outros desafios. E isso realmente acontece.

Este artigo tem como objetivo transmitir dicas e inspirações para a mulher empreendedora.

Acompanhe a leitura!

Importância do empreendedorismo feminino

A presença de mais mulheres nos negócios é benéfico para sociedade, para economia e para as empresas.

O empreendedorismo feminino tem uma característica bastante especial.

Quando uma mulher empreende um negócio feminino, ela contrata outras mulheres para trabalhar. Isso faz com que as desigualdades sejam combatidas.

Além disso, a mulher empreendedora busca fechar alianças com outras mulheres.

Uma pesquisa do Instituto Rede Mulher Empreendedora (IRME) de 2021 concluiu que sete em cada 10 empreendedoras possuem sociedades formadas predominantemente por mulheres.

Outro dado muito interessante é que as mulheres têm se destacado em soluções inovadoras.

Um estudo do Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) confirmou que as brasileiras empreendedoras implementaram inovações mais rápidas do que os homens durante a pandemia, sobretudo em isolamento.

O benefício de mentes inovadoras se dá em qualquer negócio que valoriza a diversidade.

Quanto mais pessoas de diferentes vivências, classes, raças, gêneros e sexualidades, mais ideias novas e impactantes podem surgir.

Com mais negócios funcionando bem, melhor vai a economia do país. Com mais mulheres ocupando espaços de empreendedorismo, menor desigualdade de gênero em todos os aspectos.

Em resumo, fomentar e apoiar o empreendedorismo feminino somente é possível obter vantagens em todos os aspectos sócio-econômicos.

5 Mulheres empreendedoras para se inspirar

Mulheres empreendedoras para se inspirar

Para se tornar uma mulher empreendedora, é preciso buscar inspirações em empresárias de sucesso.

Abaixo, separamos 5 empresárias brasileiras para que você possa estimular a sua motivação. Confira:

1. Heloísa Helena Assis (Zica)

Heloísa Helena Assis, mais conhecida como Zica, trabalhava como babá e empregada doméstica.

A partir da necessidade de criar produtos de qualidade para cabelos cacheados, crespos e ondulados, ela realizou um curso de cabeleireira e aproveitou a oportunidade para testar alguns produtos criados por ela mesma.

Zica conseguiu mais 3 amigas interessadas no projeto, e então abriu um salão especializado para cabelos crespos e cacheados, chamado de Instituto Beleza Natural.

Com a junção entre procedimentos capilares e desenvolvimento de produtos, Zica já possui mais de 40 unidades do Instituto espalhadas pelo Brasil.

Por esse motivo, a empreendedora foi conhecida pela Forbes como uma das 10 mais poderosas do país.

Maria José de Lima Freitas (Mazé)

Maria José de Lima Freitas passou por uma situação complicada em sua vida profissional, quando perdeu o emprego como faxineira e passou por um período desempregada.

Nesse período, decidiu começar a vender doces para conseguir sustentar a sua família.

O negócio dos doces cresceu de forma exponencial desde 1999, quando ela vendeu o primeiro doce de amendoim. Hoje, a sua empresa, Mazé Doces, produz anualmente mais de 100 toneladas de doce, com um faturamento anual de R$ 1 milhão.

Ana Fontes

Ana Fontes começou a sua história como empreendedora após trabalhar 17 anos como executiva e perceber que viveu uma carreira infeliz.

Ela pediu demissão e decidiu criar um negócio próprio. Nessa jornada, ela percebeu que havia pouco incentivo ao empreendedorismo feminino.

Foi então que ela desenvolveu a Rede Mulher Empreendedora, que tem como objetivo auxiliar mais mulheres a criarem os seus próprios negócios.

Cecilia Prado

Cecilia Prado nasceu no interior de Minas Gerais. A sua família já possuía habilidades com tricô. Pensando em aproveitar esses conhecimentos e construir um negócio, Cecilia passou a desenvolver peças mais inovadoras.

A sua ideia empreendedora deu certo e, em 2006, a marca que leva o seu próprio nome começou a ser exportada para mais de 20 países do mundo.

Luiza Helena Trajano

Luiza Helena Trajano é um dos principais exemplos de empreendedorismo feminino, pois é a presidente da Magazine Luiza.

A companhia teve início com unidades no interior de São Paulo, pelos tios da empresária. Em 1990, Luiza assumiu a loja e conseguiu com que o negócio crescesse até conquistar todo o Brasil.

Em 2020, a sua fortuna era de US$ 4,9 bilhões, segundo a Forbes. Ela, ainda, é considerada a mulher mais rica do Brasil.

Quais os desafios da mulher empreendedora?

Mesmo que o empreendedorismo feminino esteja em crescimento, conforme a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2020, realizada pelo Sebrae e o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), ainda existem muitos desafios para a mulher empreendedora.

De acordo com o levantamento, o Brasil é o sétimo país do mundo com maior número de mulheres empreendedoras.

De qualquer forma, ainda existem muitos desafios impostos às empresárias, sobretudo aquelas iniciais.

O primeiro dado mais alarmante é que 55% das empreendedoras se tornaram empreendedoras com o objetivo de gerar renda que viabilize a sua sobrevivência.

Assim, são mulheres que precisam sustentar a sua casa e a sua família e, por isso, exercem a atividade industrial com uma maior pressão.

Outro dado importante é que a maioria dos empreendedores iniciais são motivados pela escassez de empregos.

O problema de fato atinge todos os sexos, mas, sobretudo o feminino, principalmente quando a mulher é mãe.

A atividade de desenvolver o próprio negócio não é uma escolha bem elaborada por mulheres, mas sim uma alternativa de fonte de renda.

Mais um impasse para a mulher empreendedora é a dificuldade em fazer networking, pois a maioria delas tem diversas atividades domésticas para exercer.

Quando as mães precisam cuidar de seus filhos e da casa. Quando mães solteiras, elas tendem a trabalhar em casa ainda mais.

Tudo isso dificulta um tempo extra para eventos, reuniões entre possíveis parceiras e parceiros de empreendedorismo.

Por fim, outro desafio é o do preconceito. Existem pessoas que não acreditam na competência das mulheres em posições de liderança. Logo, pode ocorrer um afastamento de sócios ou colaboradores.

Dicas para ser uma mulher empreendedora de sucesso

Dicas para ser uma mulher empreendedora de sucesso

Entendemos quais são os desafios impostos às mulheres empreendedoras. Por isso, separamos algumas dicas para você se dar bem no mercado:

Faça redes de apoio

É importante ter parceiros para o seu negócio. Isso pode ser conseguido por meio de networkings ou até mesmo plataformas criadas para mulheres que empreendem.

Estar junto a outras mulheres que estão no mercado pode te fortalecer.

Estude sempre

Você precisa estudar sobre as tendências do mercado, e assim desenvolver soluções inovadoras. Para isso, comece buscando dominar a sua área de atuação através de livros, cursos, palestras e muito mais.

Seja ágil

É importante executar uma ideia o mais rápido possível. É preciso muito planejamento e testes, mas as criações precisam ser realizadas antes que outra empresa faça isso no seu lugar.

Amplie os seus canais de venda

Qualquer empreendimento precisa estar em todos os canais de venda possíveis. Existem as redes sociais e as lojas virtuais por meio de sites ou marketplaces.

Você conhece o marketplace da Mais ETC? Por meio dele é possível vender os seus produtos em um site relevante, a partir de uma taxa de comissionamento fixa.

A +ETC te ajuda a encontrar seu propósito e melhorar seus ganhos enquanto mulher empreendedora. Afile-se ao marketplace que tem a sua cara!

Conclusão

Este blog teve como objetivo te explicar sobre o cenário nacional do empreendedorismo feminino.

Caso tenha gostado do conteúdo aqui encontrado, você também pode se interessar pela seguinte leitura: “Marketplace no Brasil: qual o melhor e o que mais vende?”.

Compartilhe esse conteúdo

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Conteúdo relacionado