Consumo Consciente: O que é e exemplos para o dia a dia

 Consumo Consciente: O que é e exemplos para o dia a dia

Foto: Freepik

Consumir de forma consciente não é um bicho de sete cabeças. Por outro lado, envolve o desenvolvimento de novos hábitos.

Nunca se falou tanto sobre consumir de forma consciente quanto nos últimos tempos. E não é para menos, o clima tem dado sinais de que precisamos mudar a forma de consumir.

O tema tem sido destaque nas escolas, nos órgãos governamentais e até nas empresas. Contudo, de acordo com uma pesquisa divulgada no G1 em 2018, 76% dos brasileiros não praticam. Mas o que de fato é o consumo consciente?

De forma bastante simples, é pensar no impacto de cada coisa que você utiliza. E não apenas por causa das consequências na natureza, mas também animais e até humanas.  

Por mais que pareça um bicho de sete cabeças, o consumo consciente pode ser feito a partir da mudança de pequenos hábitos no dia a dia. 

Foto: Freepik[/caption]

Qual a importância do consumo consciente?

Não há dúvidas de que produzimos mais lixo do que deveríamos. Para se ter uma ideia, o planeta produz 1,3 bilhão de toneladas de lixo por ano. 78 milhões só no Brasil, de acordo com Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

Isso acaba resultando em impactos ambientais imensuráveis.Sem contar em trabalhos análogos a escravidão e testes em animais. 

Por isso, é necessário repensarmos a forma que consumimos e valorizar os nossos valores.

Separamos 4 reflexões de hábitos que podem ser mudados para um consumo mais consciente, que vão desde o momento da compra até o descarte. Também alguns exemplos que podem te dar um norte:

  1. Você realmente precisa disso?

Que todos nós amamos gastar, é um fato. Parece que uma roupa, um calçado, um acessório ou até uma besteirinha nunca é demais. E com a internet, esse processo ficou ainda mais fácil. 

Por outro lado, esse hábito nem sempre é saudável e pode impactar não só o seu bolso, mas também todo o meio ambiente. Já parou para pensar em tanta coisa que você compra mas não utiliza e vai para o lixo? 

Por isso, uma das primeiras coisas a se fazer é mudar os seus hábitos de compra. Antes de passar o cartão, pense se o que você está comprando é realmente necessário. 

Uma dica interessante é planejar os seus gastos com antecedência. Tanto a natureza quanto  o seu bolso vão te agradecer.

  1. Escolha empresas que produzam de forma responsável

Agora que você avaliou que realmente precisa gastar, o próximo passo é achar empresas que também se importam com o impacto dos produtos no meio ambiente.

Então, antes de comprar, entenda o que as empresas defendem. Elas possuem algum projeto que auxilie na redução de resíduos? Produtos que podem ser reutilizados? Compensação pela reciclagem? 

Há marcas com soluções ecológicas que podem facilitar a sua escolha, como produtos com refil, itens sem plástico, embalagens retornáveis e até lógica reversa (quando a empresa bonifica o consumidor quando ele envia um certo número de embalagens).

  1. Isso realmente precisa ser descartado?

Sabe aquele pote de sorvete que você reutiliza como vasilha? Essa é uma forma de consumo consciente! 

A prática de reutilizar embalagens é útil porque você não adquire com novos produtos, além de evitar que aquele item pare no lixo. Isso diminui o volume de resíduos e, de quebra, ainda ajuda o seu bolso.  

Além do pote de sorvete, você também pode usar embalagens de vidros para guardar grãos ou utilizar como uma espécie de  jarro, por exemplo. 

Já as garrafas pets podem ser transformadas em recipientes para plantar folhas e flores ou brinquedos para as crianças e os bichinhos. Use a sua criatividade!

  1. Separe o lixo

Esse tópico parece ser bastante batido, mas não deixa de ser importante. Isso contribui para um volume menor de resíduos nos lixões, além de mais objetos reaproveitados através da coleta seletiva.

Contudo, é importante ressaltar que itens altamente poluentes, como medicamentos, equipamentos eletrônicos, óleos de cozinha, bateria e lâmpadas, devem ir para ecopontos específicos, como supermercados, farmácias ou espaços especializados. 

O processo de reciclagem faz com que os produtos consumidos hoje voltem ao seu ciclo produtivo sem a necessidade de novos recursos naturais na chamada economia circular. Já falamos sobre isso aqui.

Foto: Freepik

Exemplo de consumo consciente

Há milhares de formas de se consumir de forma responsável. E como dissemos, elas vão desde a ida às compras até o descarte dos produtos.  

Por isso, além de apresentar alguns métodos práticos, também separamos alguns exemplos:

Já pensou em fazer compostagem? O consumo consciente não está somente nas embalagens, mas também no que você faz com o seu lixo. Aproveite que você está separando o reciclável do orgânico e experimente fazer compostagem!

Trata-se de técnicas para estimular a decomposição dos resíduos naturais no menor tempo possível. Os dispositivos podem ser feitos em casa e ainda garantem um fertilizante natural que pode ser utilizado nas suas plantas.

A compostagem ajuda a reduzir a emissão de gás metano (CH4), pois a decomposição dos produtos orgânicos é um dos principais aceleradores do famoso efeito estufa. 

Cadê a sua sacola de feira? Talvez você já reutilize as sacolas de supermercado para colocar lixo, mas com certeza ainda sobram muitas. Então, tente pegar o mínimo possível.

Para compensar, quando for fazer a compra do mês, dê preferência às sacolas grandes de feira. Se essa não for uma opção, utilize caixas de papelão, que geralmente ficam espalhadas pelos supermercados.   

Você utiliza embalagens econômicas? Elas custam um pouco mais, mas podem ser mais sustentáveis, pois duram mais tempo.

Ao invés de pegar duas caixas de sabão em pó pequenas em meses diferentes, por exemplo, por que não pegar uma caixa com o dobro de tamanho que dure mais tempo? 

Além de economizar tempo para ir ao supermercado novamente, as embalagens econômicas garantem menos plástico, pois o produto é armazenado em um só recipiente. 

Você utiliza marcas conscientes? Como dissemos no início, o consumo responsável não é apenas sobre meio ambiente. Empresas que exploram mão de obra barata ou impactam a vida dos animais também precisam de atenção.

Então, uma das coisas a se fazer, é buscar marcas com processos de produção transparentes, que não apenas preservem a natureza como também valorizam os seus funcionários e não façam testes em animais. 

Hoje em dia, há várias iniciativas que denunciam empresas assim com sites que você pode consultar, como um aplicativo chamado Moda Livre, que mostra empresas não muito éticas. Busque entender qual o propósito da marca

O próprio Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos possui uma “Lista Suja”, um dos principais instrumentos de políticas públicas contra o trabalho escravo. 

Compartilhe esse conteúdo

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Conteúdo relacionado